A história da Santíssima Trindade, digna de registro, remonta ao ano de 1935, quando os Padres Assuncionistas, a convite do Cardeal Sebastião Leme, chegaram ao Brasil e se fixaram na cidade do Rio de Janeiro.
Compunham a missão os Padres Adeodato Dugachard e Querubim Artique, da Província Francesa, e os Padres Quirino Thijssen e Crispin Krispijn, da Província Holandesa. Alojaram-se no Colégio Marista, na Tijuca, onde passaram o período de adaptação. Após a ida do Padre Quirino para o interior de Minas gerais, a fim de assumir a Paróquia de São José de Além Paraíba, os outros três Padres se instalaram na Rua Paissandu número 223, em outubro de 1936.
A nova residência não oferecia perspectivas de instalação definitiva. A sala da frente, transformada em capela, se tornou em pouco tempo excessivamente pequeno para acolher os fiéis. Fazia-se mister nova localização.
Em setembro de 1937, o Padre Adeodato, já com a saúde combalida, retornou à Europa, sendo substituído pelo Padre Aleixo Chauvin. O dinamismo deste último acelerou o processo de mudança para novas instalações.

Senador Vergueiro - Local escolhido.
Após incessantes buscas, as atenções se fixaram em um imóvel da Rua Senador Vergueiro, 141-143, uma velha casa senhorial, em ruínas. No térreo, parte da frente, funcionava um bar e uma quitanda de frutas e legumes; na parte traseira, uma oficina, que mais servia de abrigo para mendigos. Nas demais dependências do casarão de três pavimentos, amontoavam-se famílias inteiras, cerca de 100 pessoas. Um autêntico pardieiro.
O ponto era nobre. O terreno excelente. Media 20m de frente, 30,10m de fundos (Tr avessa Umbelina, atual Rua Senador Eusébio), 78,75m pelo lado direito e 96,90m pelo lado esquerdo. O preço era 500 mil réis, valor muito acima da capacidade financeira dos padres assuncionistas.
Para contornar o problema, foi aceita a fórmula sugerida pelo Conde Papal Cândido Mendes de Almeida, criando-se a Sociedade de Cultura Social, que conseguiu levantar junto ao banco os recursos necessários e, em 11/02/1938, efetivar a compra. Quatro meses depois, precisamente em 11/05/1938, a casa foi habitada pelos padres assuncionistas e no dia seguinte, Festa da Santíssima Trindade, foi celebrada a primeira missa na capela em que foram transformados o bar e a quitanda. Por sugestão do Padre Aleixo, a futura igreja viria a ser chamada de Santíssima Trindade.

Campanhas para obtenção de recursos.
Pelos planos do Padre Aleixo, aprovada pelo Cardeal Leme, naquele local deveria ser construída, uma Igreja e organizada um Centro de Imprensa Católica. Era um empreendimento de vulto. Padre Aleixo a ele se entregou de corpo e alma. Foram promovidas campanhas memoráveis, que contaram com o apoio e a colaboração das famílias mais representativas da sociedade local.
Em maio de 1939, era inaugurada pelo Cardeal Leme a Gruta de Lourdes, oferecida por uma família brasileira radicada na França. Em outubro do mesmo ano, começaram as fundações da futura igreja. Em 11 de agosto de 1940, o Cardeal Leme benze a primeira pedra.
As circunstâncias, porém, não eram favoráveis. A Segunda Grande Guerra, que começara no ano anterior, dificultava as comunicações com a Europa. A situação se agravou com o falecimento do Padre Aleixo, ocorrido no dia 27 de fevereiro de 1941. No ano seguinte, é o Cardeal Leme, o amigo e protetor, quem falece. Nada obstante, as obras prosseguem, em ritmo lento, mas seguro.

Ereção da Paróquia.
Finalmente, no dia 11 de janeiro de 1945, Dom Jaime de Barros Câmara, que sucedeu ao Cardeal Leme, decreta a ereção da Paróquia da Santíssima Trindade e, em 11 de fevereiro, em possa o primeiro Pároco, o Padre Guerubim Artigue, que havia chegado com a missão em 1935.
O Padre Aleixo, o líder da construção da Igreja, foi o grande ausente na sagração. Como Moisés, conduziu o seu povo, mas não entrou na Terra Prometida. Seus restos mortais, entretanto, repousam na nave central, perto do altar-mor, bem no coração da Paróquia da Santíssima Trindade. A lápide de perpetua e reverencia a memória daquele que, conjugando os esforços dos padres e paroquianos, ergueu, esse templo neogótico, de 50m de comprimento, 17m de largura e com uma torre pontiaguda de 55m de altura, como uma seta a indicar o caminho para o céu.

Campanha "Santíssima Trindade" Pró-Igreja e Obras de Assistência Social
"Exmo. Senhor, Exma. Senhora,
Durante o mês de Novembro, sereis procurados especialmente por uma comissão de senhoras que pedirá a vossa cooperação material para a construção da igreja da Santíssima Trindade, e diversas obras de assistência social, que nela serão instaladas.
Quem, no nosso bairro, ainda não conhece essa igrejinha pobre, mas tão atraente? Quem ainda não ouviu falar na sua milagrosa gruta de Lourdes?
Instalada provisoriamente num velho casarão da rua Senador Vergueiro 141, sob a direção dos Revmos. Padres Assuncionistas, a igreja da Santíssima Trindade só espera a generosidade dos cariocas para se transformar numa majestosa igreja gótica de 55 metros de comprimento, com uma torre de 60 metros de altura, conforme belíssimo projeto já elaborado e em exposição na igreja.
A enorme afluência de pessoas às missas dos domingos, o movimento constante que se observa em qualquer dia da semana, mostram bem as prementes necessidades que temos de uma igreja grande e bela, entre os arranha-céus que ladeiam a nossa grande baía.
Já pensasses nos benefícios que representa a ereção de uma igreja? É a graça divina vivificando as almas. São corações aflitos que nela vão encontrar o conforto espiritual, o consolo da fé e da esperança. Se essas considerações sobre-naturais não vos dizem nada, estamos certos de que não deixarão de falar ao vosso coração, as diversas obras de assistência aos pobres e aos doentes, obras que vão viver à sombra dessa igreja, futuro centro de apostolado e de ação social.
Encarecidamente vos pedimos, não recuseis o vosso óbolo a essa campanha, que visa um ideal nobre e elevado, de que sereis os pioneiros.
Contando com a vossa generosidade, antecipamos os nossos agradecimentos."

Presidência de Honra da Campanha
Exma. Senhora Getulio Vargas, Exma. Senhora Henrique Dodsworth, Exma. Senhora Embaixatriz Domingo Esguerra, Exma. Senhora Embaixatriz Mariano Fontecilia, Exma. Senhora Embaixatriz Jules Henry, Exma. Senhora Embaixatriz José Carios de Mácedo Soares

Comissão Patrocinadora
Senhora Affonso Bandeira de Mello, Snra. Manfredo da Fonseca Guimarães, Senhora Alfredo Sequeira, Sara. Viúva Américo F. de Moraes, Senhora Antonio Leite da Silva Garcia, Senhora. Baronesa de Bonfim, Senhora Charies Mtmay, Senhora. Condessa Dias Garcia, Snra. Viúva Joaquim Nabuco, Snra. Luiz Alves Pereira, Snra. Viúva Luiz da Rocha Miranda, Snra. Luiz Rodollpho de Mranda, Snra. Marquesa de Barral Montferra Snra. Manuel Baptista da Silva, Snra. Pedro Nabuco de Abreu, Senhorinha Deolinda Carvalho de Macedo.

Comissão Executiva
Presidente: Dr. Herminia da Rocha Miranda, Vice-presidente: D. Jeronyma Meáquita, Secretária: D. Hyginia de Souza Leão, Tesoureiro: Dr. Oscar G. Sant'Anna
Rio de Janeiro, 20 de Outubro de 1939.

FP - Ano I - Número 3 - dezembro de 1994
Cláudio Carvalho